Aljezur

Aninhado nas colinas do noroeste do Algarve, Aljezur representa o Algarve intocado, uma zona de belas paisagens naturais onde os burros trabalham a terra, os chocalhos das vacas animam as planícies e onde algumas das melhores praias de Portugal esperam por si.

Situada no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina – uma área natural protegida que se estende na costa oeste do Algarve –, Aljezur é uma vila agrícola nas férteis planícies que delimitam o rio Aljezur. As ruínas do castelo mourisco do século X dominam o centro histórico da vila e oferecem vistas panorâmicas dos sobreirais, das florestas das redondezas, dos campos com flores silvestres e do mar, no horizonte. A zona histórica que se estende pela encosta oferece uma vista pitoresca – ruelas calcetadas, com casas caiadas e os típicos vãos coloridos em volta das janelas. A parte mais recente da vila foi construída no século XVIII para acolher a população após a destruição causada pelo sismo de 1755 e encontra-se na outra margem do rio.

Fora da vila, é difícil decidir quais os melhores locais a visitar: o interior ou a costa. Os percursos pela natureza, os passeios de bicicleta pela montanha e os passeios de burro ou a cavalo pelas colinas são uma oportunidade fantástica para admirar os javalis, raposas e os texugos no seu habitat natural, enquanto a costa de Aljezur com mais de 40 km de extensão é um tesouro repleto de vida marinha, inúmeras espécies de aves autóctones e migratórias, e belíssimas praias imaculadas e tranquilos vales fluviais.

A Costa Vicentina, nome pelo qual é conhecida a costa sudoeste, contém algumas das praias mais intocadas do país, muitas das quais com amplas extensões de dunas de areia flanqueadas por altas falésias e sem qualquer tipo de construção. A dimensão das vagas de ondas nas praias de Arrifana e Praia do Amado atrai os surfistas e praticantes de bodyboard, enquanto Odeceixe, Bordeira e Amoreira se situam na foz dos rios, tornando-as mais apelativas para as famílias, que podem optar por nadar no mar ou no rio. As lagoas naturais também fazem destas praias um local favorito para as crianças. Em Odeceixe, poderá alugar canoas para passeios panorâmicos rio acima, enquanto na Amoreira, a mudança da paisagem – das dunas para os alagadiços do estuário – oferece um mundo natural totalmente novo habitado por guarda-rios, lontras e garças-reais. A gruta da Praia das Adregas, a sul de Odeceixe, é uma praia para naturistas.

Numa zona igualmente dependente da terra e do mar, não é de surpreender que os frutos de ambos façam parte da sua gastronomia. Aljezur é o maior produtor de batata-doce de Portugal, por isso este legume está presente nas suas sopas, cozidos, pastelaria e tem até um festival em sua honra – o Festival da Batata-Doce, realizado no mês de Outubro. O mar traz outras delícias regionais: os percebes que abundam nas rochas batidas pela ondulação e que são colhidos pelos intrépidos pescadores locais. O peixe fresco grelhado e a ampla selecção de marisco, incluindo mexilhões, ouriços-do-mar e caranguejos compõem as deliciosas caldeiradas de marisco.

Locais a visitar


Locais históricos e arquitectura religiosa

Castelo de Aljezur
Este castelo mourisco datado do século X foi construído para guardar o antigo porto fluvial que servia outrora de acesso ao mar, e foi uma das últimas fortalezas mouriscas do Algarve a ser capturada durante a reconquista cristã no século XIII. Duas torres, as muralhas e uma cisterna ainda se mantêm na sua posição cimeira na colina, oferecendo fabulosas vistas panorâmicas dos espaços envolventes.

Igreja da Misericórdia
Situada no centro histórico, esta igreja original do século XVI foi reconstruída no século XVIII após o sismo de 1755. Ainda mantêm a sua porta renascentista.

Igreja Matriz de Nossa Senhora da Alva / Igreja Nova
Esta igreja do século XVIII foi construída por ordem do Bispo do Algarve para substituir a igreja paroquial original que foi destruída no sismo de 1755. No interior destaca-se a estátua de Nossa Senhora de Alva – padroeira de Aljezur –, por detrás do altar-mor, a pia baptismal manuelina do século XVI e duas estátuas do século XVII nas capelas laterais, originárias do Mosteiro de Nossa Senhora do Desterro, em Monchique.

Museus

Museu Municipal
Situado no edifício da antiga câmara municipal do século XIX, este museu expõe obras de arte, vestígios arqueológicos descobertos na região e uma secção etnográfica contendo exemplares de alfaias agrícolas e uma reconstituição do interior de uma casa tradicional de Aljezur.

Museu de Arte Sacra Monsenhor Manuel Francisco Pardal
Anexa à Igreja da Misericórdia, este museu tem o nome de um importante patrono de Aljezur e exibe uma excelente colecção de arte sacra.

Casa Museu Pintor José Cercas
Este museu contém diversas antiguidades e obras de arte pertencentes ao artista local José Cercas, doadas ao município após a sua morte.

Locais arqueológicos na região de Aljezur

Ribât de Arrifana
Situada no cimo das falésias da Ponta da Atalaia e com excelentes vistas panorâmicas sobre a costa, esta fortaleza mourisca do século XII é uma das maiores da Península Ibérica. Foi construída com fins defensivos e religiosos, e as escavações revelaram a existência de várias mesquitas, um minarete e um muro de orações na direcção de Meca.

Povoado Islâmico Sazonal de Pescadores
Os vestígios deste povoado piscatório mourisco do século XII podem ver-se na Ponta do Castelo, perto da Carrapateira. Foram descobertos diversos instrumentos de pesca, cerâmica e vestígios de peixes e animais.

Necrópole de Corte Cabreira
Crê-se que os sepulcros datados da Idade do Bronze junto à vila de Aljezur remontam a 1800 a.C. A maioria dos objectos encontrados no local está patente no Museu Municipal.
Faixa publicitária