Évora: a cidade mais romântica do Alentejo

Évora deve o seu nome original Ebora aos Celtas e é uma das cidades históricas mais belas do mundo. Os Romanos construíram o seu templo glorioso em honra do imperador Augusto e a nobreza portuguesa mandou erguer palácios imponentes, capelas, conventos, igrejas e a majestosa catedral gótica. Vestígios de diferentes épocas e civilizações mantêm-se praticamente intactos numa cidade onde as pessoas passeiam por ruas calcetadas medievais. Amplas arcadas cedem passo a pitorescas praças, onde se encontram lojas de artesanato e modernas boutiques de marcas. Os cafés com esplanadas convidam-no a relaxar, enquanto os bares e restaurantes oferecem uma viagem gastronómica pela região sul do país. Deixe as preocupações do mundo moderno e acolha o charme de Évora – a cidade mais romântica do Alentejo!

A beleza de antigamente e o dinamismo de hoje
Contemple a história romana de Évora no Templo de Diana ou passeie pela zona mourisca a norte da cidade. Uma das principais atracções de Évora é a Capela dos Ossos, onde centenas de ossadas humanas expostas nas paredes e no tecto ficarão certamente gravadas na sua memória. A abundância de monumentos da cidade levou à sua classificação como Património da Humanidade pela UNESCO, que a considerou “o melhor exemplo de uma cidade da Idade do Ouro portuguesa após a destruição de Lisboa no sismo de 1755”.

Esta magnífica cidade acolhe centenas de jovens que vêm estudar na segunda universidade mais antiga do país. Évora mantém-se jovial e animada graças aos estudantes vindos de todo o país e do resto do mundo. Ao longo do dia, os cafés, bares e lojas dão as boas-vindas a todo o tipo de visitantes. Quando cai a noite, as ruas iluminam-se e os bares vibram ao som da música. Os inúmeros estudantes animam as ruas desta cidade histórica, tornando Évora um dos locais com maior animação nocturna do país.

O charme de uma região imaculada!
A cidade de Évora situa-se na encantadora região do Alentejo, uma terra de infindáveis campos dourados pontuados por oliveiras e sobreiros. Nesta impressionante região de Portugal, as cidades históricas e as aldeias aninham-se junto a muralhas medievais, enquanto os artesãos mantêm vivas tradições intemporais. O Alentejo oferece a oportunidade ideal para quem deseja explorar o rico legado deixado pelos Romanos e os Mouros ou deliciar-se com a gastronomia enquanto desfruta da tranquilidade de uma paisagem assombrosa.

Muitas das principais atracções da região situam-se nos arredores de Évora. Na estrada para Montemor-o-Novo visite a Gruta do Escoural, com as suas gravuras paleolíticas que remontam a 25 000 a.C. Existem também impressionantes monumentos megalíticos em Reguengos de Monsaraz.

Aventure-se para norte e viva a majestosa atmosfera que se faz sentir em Vila Viçosa, onde encontrará o Paço Ducal de Vila Viçosa, que foi a residência da família real portuguesa durante vários séculos.

Arraiolos, com o seu castelo do século XIV, é especialmente conhecida pelas tapeçarias feitas à mão, enquanto em Estremoz poderá visitar a feira semanal num ambiente medieval dominado pela Torre das Três Coroas e o castelo e palácio contíguos.

No Redondo, também reputado pelos seus vinhos, as ruínas do castelo dão cor ao ambiente do século XIII, e a sua famosa cerâmica recria os jarros e caçarolas romanas.

O ponto de partida ideal para descobrir a beleza de Évora e do Alentejo é o M’Ar de Ar Aqueduto ou o M’Ar de Ar Muralhas. Estes fabulosos hotéis ocupam edifícios históricos no interior das muralhas e são excelentes opções de alojamento, onde o mobiliário moderno se conjuga com o estilo antigo.

Se procura romance, prepare-se para se apaixonar por Évora e pelos seus arredores!

Locais a visitar em Évora


Arquitectura religiosa

Templo Romano de Évora ou Templo de Diana
Este é um dos marcos da cidade e um dos principais símbolos da ocupação romana de Portugal. O templo foi originalmente construído no século I d.C. para servir de local de culto ao imperador Augusto e ainda conserva 14 das suas colunas. Reza a história que foi erigido em honra de Diana, a deusa romana da caça, daí ser conhecido como Templo de Diana.

Sé Catedral
Fundada em inícios do século XII, esta é a maior catedral medieval do país. É constituída por uma estrutura semelhante a uma fortaleza, construída em estilo Gótico Primitivo. A fachada é dominada por duas torres assimétricas, flanqueadas por uma passagem que exibe as figuras dos doze apóstolos – obras-primas da escultura gótica portuguesa.

Convento do Calvário
Este convento foi fundado no século XVI pela Princesa Maria, filha do rei D. Manuel I. A sua característica mais notória é a fachada maciça. Pertenceu à Ordem de Santa Clara, ou das Irmãs Clarissas, onde as freiras viviam em extrema pobreza e por vezes passavam tanta fome que eram forçadas a tocar o Sino da Fome apelando à ajuda do povo eborense. A sua arquitectura original mantém-se praticamente intacta.

Capela dos Ossos
Esta intrigante capela faz parte da Igreja Real de São Francisco. As suas paredes estão cobertas com ossadas e crânios humanos cuidadosamente dispostos. Se for sensível, é melhor pensar duas vezes antes de passar a arcada onde se lê “Nós, ossos que aqui estamos, pelos vossos esperamos”. Foi construída no século XVI por um monge franciscano que pretendia transmitir a mensagem de que a vida é apenas uma mera passagem para o Céu ou para o Inferno.

Convento de Santa Clara
Este belo convento das Irmãs Clarissas foi fundado no século XVI. A igreja está coberta por talha dourada do século XVIII e azulejos azuis, e as paredes exibem belos murais. A sua igreja com um elegante campanário merece uma visita.

Locais históricos 

Aqueduto Água de Prata
Este é um dos monumentos mais emblemáticos de Évora. Trata-se de uma obra-prima de engenharia que remonta ao século XVI e é um dos maiores aquedutos de Portugal. Trazia água das nascentes de Graça do Divor, a 18 km de distância, até ao centro da cidade.

Paço dos Duques de Cadaval
No Templo de Diana poderá ver parte do Paço dos Duques de Cadaval. No século XIV, o rei D. João I ofereceu este palácio à família nobre dos Cadavais. Faz parte das fortificações medievais da cidade e também é conhecido por Palácio das Cinco Quinas, devendo o seu nome à forma pentagonal da torre norte. Exibe uma combinação de estilos Mudéjar, Gótico e Manuelino.

Locais a visitar perto de Évora


Locais arqueológicos 

Gruta do Escoural – Montemor-o-Novo
As famosas pinturas paleolíticas desta gruta situada nos arredores de Évora são uma importante referência para os arqueólogos e especialistas. Esta espectacular obra humana e da natureza foi descoberta em 1963 e posteriormente classificada como Monumento Nacional.

Menir de Courela da Casa Nova / Menir de Courela do Guita – Montemor-o-Novo
Nas imediações de Évora, na estrada entre Montemor-o-Novo e Vendas Novas, existe um enorme menir que remonta a 6000 a.C. Esta grande pedra erecta mede 2,70 metros e foi descoberta na década de 1970.

Conjunto Megalítico do Olival da Pega (Olival da Pega Megalithic Ruins) – Reguengos de Monsaraz
Investigações recentes concluíram que este monumento megalítico do IV e III milénios a.C. faz parte de um conjunto mais extenso de dólmenes. Os inúmeros sepulcros encontrados junto a esta estrutura evidenciam a sua importância e indicam que estes dólmenes terão sido uma importante necrópole para as civilizações da época.

Rocha dos Namorados – Reguengos de Monsaraz
Este monumento megalítico com a forma de um cogumelo tem 2 metros de altura. É conhecida como a rocha da fertilidade ou dos namorados graças a uma antiga tradição pagã que se mantém até hoje, em que as raparigas solteiras lançam pedras a este menir numa tentativa de as fazer aterrar no cimo. Cada tentativa falhada representa o número de anos que a jovem tem de esperar até se casar.

Locais históricos 

Porta da Vila – Reguengos de Monsaraz
Esta pequena porta em arco é o principal acesso para a vila de Reguengos de Monsaraz. Na parte interna da porta existem duas marcas que indicam que outrora existiu um mercado têxtil no local. Sobre o arco da porta encontra-se uma tabuleta em mármore que celebra a consagração do rei D. João IV à Imaculada Conceição.

Paço Ducal de Vila Viçosa – Vila Viçosa
Este Paço foi construído no século XV e serviu de refúgio à família real portuguesa até ao século XVII. A família real vinha até aqui para descansar, sobretudo no Verão, e foi daí que o último rei de Portugal, D. Carlos I, partiu antes de ser assassinado em Lisboa. As suas características arquitectónicas mais notórias são de estilo Mudéjar, Neoclássico, Manuelino e Barroco. Trata-se de uma paragem obrigatória para quem visita Évora.

Núcleo Museológico do Convento de São Domingos – Montemor-o-Novo
Este complexo museológico está situado no interior do Convento Dominicano, fundado em finais do século XVI. A igreja está revestida por azulejos azuis portugueses e o museu expõe objectos arqueológicos e arte sacra.

Castelo de Estremoz – Estremoz
No cimo da colina de Estremoz encontrará o castelo medieval, que exibe uma combinação de estilos Gótico, Moderno e Neoclássico. No lado sul encontra-se a torre de menagem, decorada com três balcões ameados semelhantes a três coroas. Foi construído para defender esta zona do Alentejo e também é conhecido por ser o local onde a Rainha Santa Isabel faleceu em 1336.



Hotéis recomendados em Évora


M'AR De AR Muralhas

M'AR De AR Aqueduto

Faixa publicitária


Utilizamos cookies para fornecer os nossos serviços. Ao utilizar os nossos serviços, concorda com a nossa utilização de cookies.