Faro


Faro é a capital do Algarve. Destino balnear de eleição, esta cidade cosmopolita estende-se por uma das maravilhas naturais da região – o Parque Natural da Ria Formosa, uma área com mais de 60 km, formada por lagoas, dunas e praias magníficas. Há muitas praias na zona de Faro, desde a Ilha de Faro com os seus bares, restaurantes e comodidades de luxo, à reclusão das dunas desabitadas da ilha da Barreta, que se estendem entre o mar e uma das lagoas do estuário.

As águas calmas das praias de Faro atraem tanto banhistas como entusiastas dos desportos aquáticos. Os esquis aquáticos, as velas de windsurf e as embarcações de recreio são uma presença frequente nas lagoas. Há passeios de barco panorâmicos nos canais que serpenteiam pelos sapais e pelas línguas de areia desta região única. Os sapais são território de acasalamento de aves migratórias, por isso poderá observar bandos de flamingos e muitas outras espécies. Durante os meses de Verão, os barcos também proporcionam acesso à tranquila praia da ilha da Barreta.

A cidade de Faro é um centro cosmopolita, com muito entretenimento, lojas e restaurantes, embora ainda mantenha o seu encanto original, como poderá comprovar através de um passeio pela cidade antiga. As ruelas estreitas albergam muitas lojas de artesanato local e será difícil resistir aos doces de amêndoa da região – os Dom Rodrigos – presentes em qualquer pastelaria da cidade. Os restaurantes de peixe tradicionais oferecem especialidades de marisco que, muitas vezes, está acabadinho de chegar do estuário. Também poderá provar cozinha internacional um pouco por toda a cidade, tendo o centro comercial Fórum Algarve uma praça de alimentação variada.

Os praticantes de golfe sentir-se-ão em casa, com inúmeros campos de golfe nas imediações, como os campos Pinheiros Altos, Quinta do Lago Sul, Quinta do Lago Norte, Laranjal, Royal e Ocean.

Faro foi desde sempre um importante centro de trocas comerciais devido à sua localização estratégica na foz do estuário. A sua relevância durante a ocupação romana e muçulmana foi ainda maior nas viagens marítimas portuguesas durante os séculos XV e XVI, tendo sido erguidos monumentos impressionantes como resultado da sua prosperidade. Contudo, a sua fortuna inverteu-se nos séculos seguintes, ao cair perante o ataque do exército inglês liderado pelo Conde de Essex, em 1536, e, mais tarde, quando a cidade sucumbiu perante os efeitos devastadores do terramoto de 1755. Apesar disso, Faro ostenta muitos monumentos graciosos que atestam a sua antiga glória e são dignos de uma visita.

Locais a Visitar

Monumentos religiosos

Sé Catedral
Situada na zona histórica de Vila-Adentro, a Sé de Faro foi erguida no local de uma igreja do século XIII e de uma antiga mesquita muçulmana. Foi saqueada durante o ataque inglês no século XVI e destruída pelo terramoto de 1755, tendo sido reconstruída em finais do século XVIII e apresentando, por isso, uma mistura de estilos arquitectónicos. A torre do primeiro piso e duas das suas capelas são tudo o que restou da igreja original. Do seu miradouro poderá observar os inúmeros ninhos de cegonhas nos telhados dos edifícios circundantes.

Igreja da Ordem Terceira de São Francisco
Originalmente construída como parte do Convento de São Francisco no século XVII, foram realizadas significativas alterações nos séculos XVIII e XIX. Os belos azulejos, as pinturas e os retábulos do transepto são dignos de relevo.

Ermida de Santo António do Alto
Construída junto a uma torre de vigia do século XIV, esta capela deverá remontar ao século XV. Foi alterada após a sua destruição parcial no terramoto de 1755 e o seu magnífico retábulo foi obra do famoso mestre entalhador algarvio Manuel Martins. Na capela encontra-se um museu dedicado a Santo António.

Igreja de São Pedro
Situada à beira-mar, esta capela medieval foi totalmente reconstruída no século XVI quando foi designada a principal igreja paroquial. Também parcialmente destruída pelo terramoto de 1755, foi posteriormente modificada, mas o seu transepto e as capelas exibem belos exemplos de altares de estilo barroco e rococó.

Igreja da Ordem Terceira de Nossa Senhora do Monte do Carmo
A capela de São José desta igreja do século XVIII foi o primeiro exemplar de estilo rococó no Algarve. Nesta igreja destacam-se os retábulos dourados, o tecto com painéis pintados, as belas estátuas barrocas e a singular Capela dos Ossos – ladeada por um macabro conjunto de caveiras e ossos vindos de um cemitério.

Museus

Museu Municipal de Faro, instalado no Convento de Nossa Senhora da Assunção
Situado em Vila-Adentro, este convento do século XVI acolhe agora o Museu Municipal de Faro. Parcialmente destruído pelos ingleses em 1536, continua a ser um dos mais belos exemplos arquitectónicos dos inícios do Renascimento no Algarve. O museu contém descobertas arqueológicas romanas e medievais, bem como diversas colecções de arte.

Museu Marítimo Almirante Ramalho Ortigão
Fundado em 1931, este pequeno museu é dedicado a todas as actividades relacionadas com o mar, que dominam o modo de vida no Algarve.

Museu Regional do Algarve
Fundado em 1963, este museu contém uma interessante colecção de artefactos e instrumentos tradicionais algarvios.

Ruínas romanas de Milreu
Estas impressionantes ruínas romanas perto de Estói formam parte de uma residência do século III e inclui a moradia principal, um templo e os banhos. Os coloridos mosaicos com motivos marinhos realçam a associação de Faro com o mar.

Faixa publicitária


Utilizamos cookies para fornecer os nossos serviços. Ao utilizar os nossos serviços, concorda com a nossa utilização de cookies.