Sagres

Sagres exibe algumas das mais impressionantes paisagens do Algarve. A força da natureza é tão forte na ponta mais a sudoeste de toda a Europa continental que os visitantes logo percebem porque os antigos colonos a apelidaram de “sagrada”, porque foi o ponto de partida dos exploradores portugueses no século XV rumo ao desconhecido e como conseguiu manter a sua fascinante beleza natural.

A história de Sagres foi definida pela sua localização geográfica e pelos magníficos promontórios de Sagres e do Cabo de S. Vicente. A ideia de que a terra termina aqui nestes promontórios com 50 metros de altura que se precipitam dramaticamente no mar foi uma fonte constante de mistério e atracção para os sucessivos colonizadores da região, conforme atestado pelos diversos vestígios da sua presença. A figura mais influente da história de Sagres foi o Infante D. Henrique, que aí se inspirou para embarcar nas suas viagens de descoberta, trazendo fama à região e levando à fundação da Vila do Infante. Sob o seu comando, a zona transformou-se num centro de actividade marítima, onde se reuniam cartógrafos, astrónomos e marinheiros, onde se construíam caravelas e onde se deu início à exploração da costa africana.

A paisagem selvagem e acidentada de Sagres e a força e atracção do mar continuam a encantar os visitantes. As bonitas falésias e as longas extensões de areia da costa a norte do Cabo de S. Vicente tornaram-na um local de eleição entre os surfistas, os praticantes de parapente e os amantes dos ambientes naturais selvagens e inóspitos. A costa sul oferece mais alternativas. As praias expostas, como a do Tonel, ajudaram a transformar Sagres na capital do surf no Algarve, enquanto as praias mais abrigadas, como a Mareta ou o Martinhal, são favoritas entre as famílias, pois continuam a manter o seu ambiente natural e imaculado. Estas são especialmente populares entre os mergulhadores, que desfrutam ao máximo das grutas submersas das falésias calcárias da Mareta ou das ilhotas ao largo do Martinhal. Viajando para leste ao longo da costa sul, encontrará longos areais alternados por pequenas grutas aninhadas entre falésias, sendo as de mais difícil  acesso as que por vezes oferecem praias abençoadas e praticamente desertas.

Sagres é uma animada vila piscatória com um pitoresco porto na Ponta de Baleeira, que se torna muito animado ao final do dia, quando os pescadores regressam da faina. Vários barcos que oferecem actividades de pesca, passeios para observação de golfinhos ou passeios panorâmicos pela impressionante costa também partem deste local. A Praça da República, o centro da vila, é um ponto interessante no qual se pode observar a rotina do dia-a-dia enquanto se degustam as especialidades locais. O peixe é o ingrediente principal de muitos pratos e a variedade é fabulosa, desde percebes a chocos e moreia frita, servido de várias formas deliciosas. Os meses de Verão trazem muita animação aos bares de Sagres, à medida que os surfistas rumam às praias e participam no festival anual de surf que aí se realiza. A Praia da Mareta, a mais próxima de Sagres, encontra-se a curta distância a pé a sul da vila.

Enquanto os amantes da praia desfrutam do sol, os praticantes de golfe podem desfrutar das lindíssimas vistas sobre o mar ao mesmo tempo que testam as suas aptidões nas colinas ondulantes do campo do Parque da Floresta, situado na aldeia vizinha de Budens.

Locais a visitar


Locais históricos na Ponta de Sagres:

Fortaleza de Sagres
Classificada como Monumento Nacional, a fortaleza original do Infante D. Henrique, datada do século XV, foi destruída durante as incursões de Sir Francis Drake às costas sul de Espanha e Portugal durante o século XVI, tendo sido reconstruída durante os séculos XVI a XVIII.

Rosa dos Ventos
Atribuído ao Infante D. Henrique, este círculo com 43 metros de diâmetro e 32 raios feitos com pedras, foi descoberto em 1921. É conhecido como rosa-dos-ventos, embora alguns estudiosos acreditem que tenha sido um relógio solar.

Igreja de Nossa Senhora da Graça
Construída sobre as fundações da igreja original de Santa Maria, mandada construir pelo Infante D. Henrique, esta igreja do século XVI ostenta uma imagem de S. Vicente vinda do convento do Cabo de S. Vicente. Nela pode ver-se o sepulcro de um capitão espanhol do século XVI que ajudou a defender a fortaleza dos ataques de Sir Francis Drake em 1587 e o túmulo de dois comandantes da fortaleza durante o século XVII.

Locais históricos no Cabo de São Vicente:

Fortaleza
O Rei D. João III ordenou a construção desta fortaleza no século XVI para proteger o convento franciscano contíguo dos ataques dos piratas. A porta principal ostenta o brasão do rei. A torre foi destruída por Sir Francis Drake e reconstruída no século XVII.

Farol do Cabo São Vicente
Originalmente construído em 1846, o farol foi ampliado e modernizado desde então. É considerado um dos faróis mais potentes da Europa e vigia uma das rotas comerciais mais movimentadas do mundo.

Locais arqueológicos da região de Sagres:

Monumentos megalíticos
A paisagem em redor de Sagres é pródiga em vestígios do passado pré-histórico algarvio, confirmando a crença de que os promontórios de Sagres e do Cabo de S. Vicente eram antigos locais de devoção. Diversos menires e cromeleques datados dos séculos IV a III a.C. estão espalhados pela região, sendo os exemplares mais notáveis os que se encontram em Aspradantas, Milrei, Padrão e Monte dos Amantes.

Ruínas romanas
O nome de “Sagres” deriva do nome sagrado dado pelos Romanos a este promontório, Promontorium Sacrum, local onde o pôr-do-sol fazia as águas fervilhar. As ruínas mais importantes da região incluem uma residência, termas e tanques de salga de peixe na Boca do Rio, bem como vestígios de uma residência e de tanques de salga de peixe na Praia de Salema. A praia do Martinhal contém vestígios de um grande centro de cerâmica com três fornos usados para a produção de ânforas, e nas pequenas ilhas em frente ao Martinhal também se encontram ruínas de tanques de salga de peixe.

Hotéis recomendados em Sagres
Faixa publicitária